Motor Furia - Retífica de Motores


Faça já o seu orçamento pelo whatsapp
(11) 95753.8101 - Clique Aqui

Economizando Combustivel


Preparando seu carro

Não é segredo que o preço dos combustíveis tem aumentado muito. Se você quiser economizar, este artigo lhe dará dicas sobre como dirigir gastando menos combustível.

Pneus: checagem obrigatória

A calibragem correta dos pneus é fundamental para menor consumo de combustível e para a segurança. Pneus abaixo da calibragem aumentam a resistência para o carro se movimentar e levam a maior consumo de combustível. Eles também comprometem a estabilidade em curvas e em manobras de emergência. Além disso, diminuem o controle do carro durante uma freada e aumentam a distância da parada. A calibragem abaixo da recomendada força as laterais dos pneus desnecessariamente e faz com que se aqueçam demais e retenham calor rapidamente. O esforço e o calor são os fatores que mais contribuem para avarias dos pneus, incluindo estouros. Pressão inferior à recomendada também aumenta o desgaste dos pneus.

Pneus bem calibrados ficam mais duros e rolam mais facilmente. Isto aumenta sua vida útil e ajuda a economizar combustível. Permitem que a banda de rodagem do pneu tenha melhor aderência, inclusive na chuva, na neve e na lama. Além disso, são capazes de trabalhar junto com a suspensão do seu carro para proporcionar o melhor comportamento dinâmico possível, máxima precisão de direção e maior capacidade frenagem.

Estima-se que 4 em cada 10 veículos em circulação tenham pelos menos um pneu com pressão abaixo da que deveria. Uma pressão de 3 libras por polegada quadrada (lb/pol²) abaixo do recomendado pode aumentar o consumo em 1,5 %. Alguns especialistas sugerem aumentos ainda maiores. A Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA - Environmental Protection Agency) alerta que rodar com pneus a 20 lb/pol² ou menos pode lhe custar meio quilômetro por litro.

Calibragem apropriada: os pneus podem perder por si sós 1 lb/po² a cada 30 dias e perder ainda mais pressão mais em tempo frio. Devido ao ar mais frio ser mais denso, a pressão cai cerca de 1 lb/pol² para cada 4,7º C. Um pneu calibrado com 30 lb/pol² a 21º C, por exemplo, pode cair para 26 lb/pol² a 2,2º C.

A pressão recomendada dos pneus é indicada no seu carro geralmente em um adesivo no lado de dentro da tampa do porta-luvas ou em uma das colunas da porta. Consta também no manual do proprietário. Muitos veículos são disponíveis com várias medidas de pneu e cada uma tem sua própria recomendação de pressão de enchimento.

Compare a medida mostrada na lateral do pneu com a medida que consta no adesivo ou no manual do proprietário. Observe que a calibragem indicada na lateral do pneu representa a calibragem máxima admissível e não a pressão ideal determinada pelo fabricante do pneu e/ou do seu carro.

Verificando a calibragem: confira a calibragem quando os pneus estiverem frios. Isto significa que devem ter rodado menos de 1,5 km. O ar expande-se dentro do pneu aquecido, o que produz uma falsa medição.

A pressão dos pneus deveria ser conferida pelo menos a cada 30 dias. O calibrador de pneus é um velho e útil recurso. Mas os regulamentos federais nos EUA exigem que, a partir de 2008, todos os carros novos, utilitários esportivos, minivans e picapes sejam equipados com um dispositivo de alerta de pressão baixa. Sensores irão monitorar a pressão dos pneus e, caso estejam 25% abaixo da calibragem recomendada, uma luz amarela no painel se acenderá.

Este sistema irá salvar aproximadamente 120 vidas e prevenir 8.400 ferimentos anualmente, de acordo com a Administração Nacional de Segurança de Tráfico nas Estradas (National Highway Traffic Safety Administration). O NHTSA avalia que isto também fará com que os motoristas economizem até US$ 35 anualmente, pela maior vida útil dos pneus e pelo menor consumo de combustível. A partir de 2004 alguns modelos passaram a trazer o sistema. Em 2006, era obrigatório em 20% dos carros novos, subindo para 70% em 2007 e 100% em 2008.

O consumo de combustível varia de acordo com o tipo de pneu: os pneus para off-road ou todo-terreno, com sua banda de rodagem de sulcos bem espaçados e profundos, são projetados para passar por pedras e lama. Eles não são indicados para proporcionar baixo consumo de gasolina.

Pneus de passeio normais produzem menos atrito e portanto rodam mais livremente, permitindo andar mais com menos combustível. São geralmente mais leves que os off-road, o que também significa menor consumo. Eles também são mais silenciosos rodar, proporcionam mais estabilidade e duram mais.

Não carregue mais do que precisa

Mantenha seu carro o mais leve possível. Para cada 45 quilos de peso extra, o consumo aumenta em pouco mais de 4%. Limite os itens do dia-a-dia no seu porta-malas ou área de carga ao estritamente necessário (o que deveria incluir alguns itens de segurança, como uma pequena garrafa de água, uma lanterna e algumas ferramentas).

Não carregue aquilo que você não vai usar. O peso extra não apenas gasta mais combustível, como também pode prejudicar a distribuição de peso no seu carro, além de piorar a estabilidade e até subtrair a valiosa tração das rodas dianteiras. Se precisar carregar objetos pesados, tente transportá-los um pouco de cada vez no carro.

Retire o bagageiro

O arrasto aerodinâmico aumenta o consumo de combustível. Livre-se de tudo que perturbe o correto fluxo de ar por toda a superfície do carro. A maioria dos bagageiros de teto possui partes transversais removíveis e alguns podem ser completamente removidos; retire-os se não estiverem em uso. Quando precisar carregar alguma coisa no teto do carro, mantenha a carga pequena e leve, tanto para gastar menos combustível com a melhor aerodinâmica como para evitar o risco de um desequilíbrio por excesso de peso em cima do carro. Os manuais de proprietário indicam a carga máxima no teto, mas em princípio ela não deve exceder 50 kg.

Quebra-mato e estribos podem fazer seu utilitário esportivo parecer valente, mas também acrescentam peso e arrasto. E que tal aquele defletor aparafusado na tampa do porta-malas que faz seu carro parecer veloz e potente? Sua função é canalizar o vento e pressionar o carro contra o solo em altas velocidades. O resultado é uma melhor aderência à estrada, mas essa "força vertical descentede" é um peso artificial que faz aumentar o consumo de combustível. A menos que você seja um técnico em corridas, perito em aerodinâmica, seu defletor não vai fazer nada mais que acrescentar arrasto e peso. E isso também vai lhe custar mais consumo de combustível.

Levante a tampa da carroceria

Alguns motoristas de picape acreditam que estão poupando combustível ao dirigir com a tampa da caçamba abaixada, removida ou substituída por uma tela de tecido ou grade de metal. Isso é falso.

Estudos em aerodinâmica mostram que uma picape consome menos combustível com a tampa levantada. Parece que a tampa levantada faz com que o ar que flui sobre o teto da cabine fique parado na caçamba como uma "cúpula". À medida que a velocidade aumenta, esta cúpula, que se estreita em forma de gota próximo da tampa da caçamba, age como uma rampa aerodinâmica que força o ar por cima dela, em benefício da do menor consumo.

Interromper esse fluxo com a abertura ou remoção da tampa faz com que o ar que passa por cima da cabine fique em turbilhão na caçamba, prejudicando a aerodinâmica da picape e aumentando o consumo de combustível.

Manter seu carro em boas condições pode ajudar a torná-lo menos gastador de combustível. Na próxima seção veremos que medidas você pode tomar para fazer a manutenção do seu carro visando consumir menos.